terça-feira, 28 de agosto de 2012

A um amigo


Caros, 

O poema que vos trago foi escrito tendo por inspiração um amigo que só consigo descrever como fascinante. Uma alma sensível, um semblante impassível e uma personalidade um tanto interessante, em suas qualidades e defeitos!

O escrevi duma só tirada, no dia 19/07/2012, véspera do Dia do Amigo, mas só tive coragem de mandar para ele no dia 20 de Agosto, 1 mês depois! (tenho o hábito de destruir meus escritos por achá-los indignos de serem lidos por outrem)

Tem influências do Romantismo pois é o estilo ao qual mais me afeiçoei desde sempre. Não tem métrica nem rimas pois não tenho competência suficientes para fazê-los, meus poemas são "prosa em verso"

Ei-lo:



A um amigo

Meu caro, para quê lhe servem tão belos olhos
Se me é impossível ler a alma
Que se esconde aí por detrás?

Nunca consigo saber no que pensas
O que sentes ou pretendes:
Em teus negros olhos encerras o mistério.

Teu sorriso é o mais belo já exibido por mortal.
Se não consigo fazê-lo sorrir – Ai de mim!
Meu coração se inquieta e tortura.

Não sei que transmutação se passa em minh’alma 
Ao ouvir tua doce e confortante voz.
Talvez a alquimia resida nela, e não em mim.

Teus nobres gestos, tuas maneiras e a 
Leve melancolia de tua fronte me lembram
Os heróis saídos da pena de Byron.

A melancolia que me torna o humor inconstante
E para a qual nunca encontrei remédio
Sublima quando me falas, me escreves, ou me olhas.

Quando percebo minha pálida e fria mão 
Retida entre as tuas, fortes e protetoras
Sinto-me confortada enquanto dura o gesto.

Não sei o que sinto – talvez me seja um vício
(Já que me confunde os sentidos e rima com teu nome)
Como para o poeta de outrora
O absinto ou o ópio.



7 comentários:

  1. Certamente seu amigo deve ter ficado bastante orgulhoso.

    ResponderExcluir
  2. Bom, meu amigo gostou!
    Quem és, novo leitor de meu precário blog?

    ResponderExcluir
  3. Um novo velho leitor, do tipo que leu praticamente tudo e lamenta a ausência de novos textos, assim como a escassez dos já existentes.

    É que raramente comento.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Hum. Também me sinto assim.

    Será que também, assim como eu lamentas o fato de nunca poder possuir um livro autografado por seus autores favoritos pois todos eles encontram-se mortos?

    O hoje é deveras decadente, o ontem sempre ideal, idílico e o amanhã aterradoramente degradado. Eis minha visão acerca da temporalidade.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Your website nice, may be useful for many people. I entrusted this link, I hope you agree, thank you.

    Obat GERD
    Obat Herbal
    Obat Epilepsi
    Obat Herbal Lipoma
    Obat Jantung Anak Bocor

    ResponderExcluir